Muitas vezes foi dito que o Timeu era um poema, ou até mesmo um romance[1]. Gostaríamos de desenvolver aqui algumas reflexões sobre o gênero literário desta obra de Platão. Após analisarmos brevemente o conteúdo e definirmos o Timeu como uma espécie de “Gênese”, tentaremos esclarecer o significado do modo de exposição que Platão utiliza no diálogo e ao qual ele dá o nome de “eikos logos”, ou seja, “discurso de verossimilhança”. Em seguida, vamos nos concentrar em mostrar a razão por trás dessa escolha: o domínio da physis é um domínio divino que escapa a qualquer conhecimento preciso por parte do ser humano. Somente a poiesis (criação artística) da linguagem humana pode tentar imitar a poiesis divina. Nesse sentido, perceberemos que a ficção literária é concebida por Platão como uma espécie de oferenda religiosa, que é ao mesmo tempo um jogo que responde ao jogo divino. Finalmente, encerraremos com breves alusões à história do tema literário que o Timeu impôs a todo o Ocidente, o do poema cósmico.

Leia mais

1/1
error: Conteúdo autoral!