Formação do Aprendiz Maçom 011 Instruções


012 – Finalizando 
013 – Agradecimentos















Quando
entramos em algum grupo precisamos aprender o que é o grupo. Algo que parece
ser claro, óbvio. Contudo, no atual contexto cultura do “consumo para massa” e
das igrejas “neo-alguma coisa”, não é mais assim.
No
áudio aula iremos explicar exatamente isso. O que são essas instruções, que no
caso do material didático chamado Rito Escocês Antigo e Aceito são 7.
Na
primeira instrução: algumas ideias gerais do grupo que você acabou de chegar.
Na
segunda instrução: resumido num cartaz (painel da loja) está tudo que ao final
dessa etapa você precisa saber.
Na
terceira instrução: Sobre a ideia de mistério e sinalização de que há Deus como
fundamento de tudo. Contrariando os “besterois” arrogantes e ignorantes dos
detratores da maçonaria.
Na
quarta instrução: a justificativa na qual fundamenta a união de indivíduos, ou
seja, para além das fantasias de que se reúne para contar dinheiro; cultivar
alguma idiotice projetada pelos aloprados da internet, há um fundamento filosófica
para a fraternidade.
Na
quinta instrução: retoma novos elementos concretos do lugar onde se reúne para
deles fazer associações formativas. Especialmente para chamar a atenção de quem
não compreende bem as coisas e “paga de entendido”; como esse é perigoso; o
falso sábio. (que agora conta com as famigeradas redes sociais para vomitarem
duas asneiras.)
Na
sexta instrução: como se reconhece um maçom? Para além das fantasias de algum
tipo de sinal; deveria reconhecer pelo comportamento da pessoa; por atitudes; e
não pelos famigerados broches, adesivos, ou sinal de mão, pescoço, braço.
Aliás, pela burrice com frequência pode se reconhecer um maçom.
Na
sétima instrução: sugiro estudar a obra de Platão; em especial o livro de nome
Timeu. Para compreender de vez em que sentido os números eram utilizados em
termos qualitativos; e não quantitativos como passou a ser usado depois de 1500
d.C. Ou procure por sólidos platônicos.